Notícias

Um cookie para chamar de seu

Por Walter Bolitto

Uma pesquisa realizada na Universidade Federal do ABC relaciona o desenvolvimento de tecnologias de rastreamento e o desenvolvimento de empresas especializadas na produção dessas ferramentas. A pesquisa foi realizada pelo doutorando Rodolfo da Silva Avelino e pelo professor Sérgio Amadeu, da UFABC. Ambos são participantes do coletivo Actantes. Para escrever o artigo, eles utilizaram a ferramenta livre webcookies.org a fim de analisar os rastreadores contidos em páginas da web e analisaram os dez sites mais utilizadas de notícias brasileiras.

Hoje, os principais agentes com interesse no comportamento dos usuários são: trackers de empresas especializadas em mídias eletrônicas, com o objetivo de desenvolver um marketing direcionado para cada tipo de usuário; governos, por meio de suas respectivas agências de inteligência e plataformas de controle. Esses atores são as grandes plataformas que desenvolvem serviços e visam manter o usuário dentro de seus sites.

Além dos agentes, o artigo busca descrever os principais tipos de web cookies. São web cookies de sessão (armazenados durante uma sessão de navegação), web cookies persistentes (se mantêm por um período maior,registrando hábitos de navegação ao longo do tempo) e web cookies de terceira parte (criados por empresas que não são, necessariamente, as mesmas que mantêm o site que o usuário acessa).

Um dado sério apontado pela pesquisa foi a observação que muitos dos cookies injetados são injetados a partir de servidores de regiões diferentes do mantenedor do site acessado. Outra observação diz respeito ao HTML5: “Foi possível observar a tendência na substituição das técnicas de web cookies pela técnica de armazenamento local disponíveis no HTML5,  sobretudo, pelo aumento da capacidade (tamanho) de injeção de arquivos de rastreamento em uma navegação”. Isso quer dizer que os cookies HTML5 poderão coletar uma quantidade maior de dados. (Clique no gráfico e na tabela abaixo)

 

figura 4
tabela 4

Também foi feita uma análise do tipo mais comum de web cookie encontrado nos principais sites. A maioria dos web cookies encontrados são persistentes, ou seja, permanecem ativos em visitas futuras do usuário ao site. Seu tempo de armazenamento dura de acordo com o tempo específico do servidor que os mantém. A proporção pode ser vista na figura e no gráfico a seguir: (Clique no gráfico e na tabela abaixo)


figura 3
tabela 3
Veja a íntegra do artigo aqui.
Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte + 2 =