Destaque, Notícias

Criptomoedas: você ainda vai usar uma

bitcoin

Você já ouviu falar em Criptomoedas? Em Bitcoin?

Pois a Cryptorave será uma boa oportunidade para saber mais sobre esse novo formato de remuneração e troca de serviços que surgiu nos últimos anos. Wladimir Crippa, que é da Bitcoin Brasil, a pioneira moeda criada há cinco anos e que já vem sendo aceita por inúmeros sites, falará sobre o tema na mesa sobre criptomoedas, que ocorre à meia noite, na virada do dia 11 para o 12 de abril, durante a CryptoRave. Crippa conversou com a equipe da Actantes para explicar um pouquinho sobre o assunto. A sociedade em rede já criou muita coisa nova, inclusive seu próprio dinheiro.

Qual o seu envolvimento com a CryptoRave e a CryptoParty?

Crippa – Meu envolvimento primário é com o movimento do software livre e dos partidos piratas, movimentos que têm como eixo central a liberdade, o código aberto, o direito à privacidade. A partir desse envolvimento e conhecendo outros ativistas, como o Arles e o Sergio Amadeu, surgiu o convite para participar da CryptoRave e da CryptoParty, trazendo o debate das criptomoedas.

Qual a importância de eventos/ações desta natureza?

São importantíssimos, imprescindíveis até, considerando os dias que temos vivido, onde há cada vez mais uma disposição do Estado e das grandes empresas em monitorar e controlar as ações das pessoas na rede, seja por interesses políticos ou comerciais. Estes eventos colocam em debate a liberdade e a privacidade na rede, e ainda difundem o conhecimento necessário para “armar” as pessoas para defender as suas individualidades.

O que são as criptomoedas? Para que servem? Como podem ser utilizadas? Quem pode utilizá-las?

Criptomoedas são arquivos digitais, que são encriptados, utilizados como meio de troca. Por esta razão, são chamados de criptomoedas. A finalidade é usar como mecanismo de troca em transações, usar como forma de compra e venda, como pagamentos. Qualquer pessoa que desejar, pode utilizá-las. Não é necessário pedir autorização para nenhum órgão ou entidade. As criptomoedas existem em uma grande rede P2P. É esta rede que gera novas unidades e mantém todo o sistema funcionando, registrando e validando cada nova operação realizada de envio e recebimento de moedas. E tudo isso sendo criptografado.Neste processo, é garantida também a privacidade do indivíduo, pois são necessários apenas um endereço de envio e um de recebimento para realizar as operações.

Qual a relação das criptomoedas com o Bitcoin?

O Bitcoin é “a mãe” de todas as criptomoedas. É o experimento mais bem sucedido até o momento (tem apenas 5 anos). Na medida em que ele cresce e ocupa destaque, vai também abrindo portas para outras criptomoedas, que basicamente usam o mesmo código do Bitcoin, que é aberto, com pequenas variações. As criptomoedas podem ser trocadas por bitcoins, assim como o Bitcoin também pode “comprar” outras moedas.

De que forma as criptomoedas podem contribuir para a difusão das técnicas e sistemas de criptografia?

Quanto mais as pessoas ouvirem falar no Bitcoin e demais criptomoedas, mais elas ouvirão também falar em criptografia. É o primeiro passo para que busquem mais conhecimento e informação, e passem a utilizar a criptografia no seu dia-a-dia – até para garantir a segurança de suas moedas.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 1 =