Notícias

Ataque cibernético afeta servidores na Europa e hospitais no Brasil

Do Jornal GGN

Um novo ataque cibernético afetou diversos países na Europa nesta terça-feira (27), atingindo aeroportos, bancos e escritórios governamentais. O ataque também teria prejudicado hospitais no Brasil.

Um dos países mais afetados foi a Ucrânia, onde um conselheiro do ministro do Interio classificou o ataque como o pior na história do país. De acordo com Anton Gerashchenko, as interrupções foram causadas pelo Cryptolocker, um vírus similar ao WannaCry, que bloqueou mais de 200 mil computadores em cerca de 150 países em maio.

“Nós estamos respondendo em caráter de urgência a relator de outro grande ataque de ransonware a negócios na Europa”, disse Rob Wainwright, diretor da Europol.

Segundo a empresa Symantec, o vírus responsável pelo ataque de hoje é o Petya [ou sua versão NotPetya, como você pode ver neste texto], que aplica o golpe chamado de ransomware, que sequestra os arquivos e só os libera através de um pagamento em moedas virtuais, codificando os conteúdos do sistema para impedir o seu acesso.

De acordo com agências de notícias, os países mais afetadas foram a Rússia e Ucrânia. O banco central ucraniano disse que bancos comerciais e públicos do país e empresas privadas foram alvos do ataque.

“Como resultado desses ataques virtuais, esses bancos estão tendo dificuldades com serviços aos clientes e operações bancárias”, informou a instituição. Caixas eletrônicos mostravam mensagens de resgate nas agências bancárias da Ucrânia. A central nuclear de Chernobyl também foi afetada.

A petroleira russa Rosneft também afirmou que foi atingida por um ataque de larga escala a seus servidores. “Os servidores da companhia sofreram um ataque cibernético poderoso”, informou a empresa.  “O ataque cibernético poderia provocar sérias consequências, mas a companhia recorreu a um sistema reserva de processamento de produção e nem a produção de petróleo nem a de refinamento foi interrompida”.

Hospitais
As unidades do Hospital do Câncer de Barretos (SP) nas cidades de Jales (SP) e Fernandópolis (SP) também sofreram um ataque desta terça, afetando todo o sistema do hospital. A instituição afirmou que mais de três mil pacientes foram prejudicados, informando também que pediu ajuda ao Ministério da Saúde e para a Polícia Federal.

NSA
De acordo com a empresa de tecnologia Symantec, há indicações de que o vírus Petya, responsável pelo ciberataque, usa o  EternalBlue, instrumento roubada da Agência de Segurança Nacional dos EUA, a NSA. O ransomware foi o mesmo utilizado no ataque do WannaCry, em maio.

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − cinco =